Refluxo Laringo-Faríngeo

Autores: Agnaldo Viana Pereira Neto1, Dr. 2

1 Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Medicina
2 Gastroenterologista

 

O que é?

O refluxo gastro-esofágico (RGE) é uma patologia decorrente da falha anatômica e/ou funcional dos mecanismos de contenção do conteúdo gástrico no estômago. O RGE e o refluxo laringo-faríngeo (RLF) são, respectivamente, trânsito do conteúdo gástrico para dentro do esôfago e deste para as áreas laríngea e faríngea. Com a evolução tecnológica e populacional ocorrida nos últimos anos, mulheres e jovens têm sido novos grupos de indivíduos a padecer de sintomas relacionados ao refluxo alto (RLF), uma vez que os mesmos têm enfrentado jornadas árduas de trabalho e estudo noturno, não restando tempo suficiente para a realização adequada das refeições.


Como acontece?

Como o conteúdo ácido do estômago (ácido clorídrico) ascende em direção às estruturas laringo-faríngeas, queixas no campo fonoaudiológico têm sido freqüentemente relatadas no consultório de tal profissional da saúde. As secreções gástricas podem banhar as pregas vocais e causarem irritações, inflamações e disfunções das mesmas.


O que se sente?

Dentre tais queixas podem-se destacar: disfonia, rouquidão, globo faríngeo, pigarro, tosse seca, ardência e irritação na garganta, dor e dificuldade ao deglutir. Faringites e laringites têm sido rotineiramente relacionadas ao RLF, mostrando que tais estruturas (laringe e faringe), apesar de distantes do estômago, têm sofrido conseqüências da desestruturação gástrica.


Como o médico diagnóstica?

Com um exame chamado video laringoscopia pelo qual se visualiza diretamente as cordas vocais, traquéia e a laringe.


Como tratar?

Sabe-se que determinados hábitos alimentares como alimentações volumosas, mastigação insuficiente, comer e deitar-se imediatamente após e alimentações noturnas predispõem ao RGE e ao RLF. Certos tipos de alimentos, tais como gorduras, frituras, enlatados, corantes e conservantes, chocolates, cafeína, refrigerantes, condimentos e carboidratos (macarrão, farinha, etc) propiciam e estimulam o RGE e o RLF. Devem-se evitar alimentos pesados e condimentados, principalmente se estão associados a sintomas como azia, sensação de empachamento, eructações e flatulência.

O tratamento da RLF também é feito com medicamentos. Com o tratamento do RGE. Com o uso de drogas que diminuam a secreção ácida e que aumentem a motilidade e esvaziamento gástrico.

 

Voltar